Sermig

“Festa do sim”: uma festa para agradecer

No dia 26 de setembro, sábado, no Arsenal da Paz de Turim, na Itália, nós do SERMIG - Fraternidade da Esperança vivemos um momento histórico: a nossa primeira “festa do sim”, representando a nossa adesão convicta ao projeto de vida expresso na Regra do SERMIG.

“Sins tão fieis, tão disponíveis, tão para sempre – disse Ernesto Olivero, fundador do SERMIG –, sins que jamais se renderam à fadiga, a nenhuma traição. Sins cheios de cansaço e de lágrimas pela dor encontrada e cuidada. Sins disponíveis noite e dia, o ano inteiro, a vida inteira. Sempre! Esses sins têm os rostos dos amigos de Deus.”

Rosanna Tabasso, a primeira consagrada do SERMIG - Fraternidade da Esperança, agradeceu e rezou “pela árvore da qual fazemos parte. Ramos diversos: famílias, amigos que vivem no mundo, nós, consagrados, consagradas e logo também sacerdotes... Ramos de uma única árvore unidos em um único tronco, comprometidos a viver a espiritualidade da Presença, o carisma da Esperança, a Restituição.”

O monsenhor Cesare Nosiglia, arcebispo de Turim, presidiu a celebração eucarística junto a diáconos e sacerdotes amigos do SERMIG. “Hoje é a festa do sim... O sim, em primeiro lugar, a Deus, autor e promotor desta obra. Isso significa colocar Nele as bases do nosso fazer e do nosso esperar. Porque Ele, o Seu amor é a rocha de que fala o Evangelho. Uma rocha que é estável, que é fiel, que não desmorona... Isso foi o que aconteceu com o SERMIG: acreditou que podia fazer coisas impossíveis partindo de coisas possíveis, do nada. Porque havia esse amor a Deus, um sim dado a Ele, e o sim dado a Deus permite realmente coisas impossíveis, como o sim de Maria.”

Familiares, amigos, voluntários e benfeitores acompanharam com oração e afeto esse importante momento.

O SERMIG - Fraternidade da Esperança é a comunidade que habita e dá vida ao Arsenal da Esperança, uma casa que acolhe todos os dias 1.200 homens próximo ao metrô Bresser-Mooca, em São Paulo, no Brasil. A comunidade foi fundada por Ernesto Olivero e sua esposa, Maria Cerrato, nos anos 1960, na cidade de Turim, na Itália, com o objetivo de acabar com a fome e as injustiças no mundo. Hoje, o SERMIG conta com consagrados, consagradas, famílias e, dentro de poucos dias, contará também com sacerdotes.