Sermig

Roma. O SERMIG participa do encontro do Papa Francisco com os movimentos e as novas comunidades

clique para ampliarNos dias 20, 21 e 22 de novembro, aconteceu em Roma, no Pontifício Colégio Internacional Maria Mater Ecclesiae, o 3º Congresso Mundial dos Movimentos Eclesiais e das Novas Comunidades. Promovido pelo Pontifício Conselho para os Leigos, o Congresso reuniu fundadores e representantes de mais de cem movimentos e comunidades, vindos do mundo todo. Ernesto Olivero, fundador do SERMIG - Fraternidade da Esperança, e outros membros da comunidade participam do evento.

O cardeal Stanislaw Rylko, presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, abriu o Congresso que tinha como tema “A alegria do Evangelho: uma alegria missionária”, à luz da Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium”. Dentre os muitos conferencistas estavam o pregador oficial da Casa Pontifícia, padre Raniero Cantalamessa, o secretário da Pontifícia Comissão para a América Latina, professor Guzman Carriquiry, o prefeito da Congregação para os Bispos, Cardeal Marc Ouellet, e o presidente do Pontifício Conselho Justiça e Paz no Vaticano, o cardeal ganês Peter Kodwo Appiah Turkson.

clique para ampliarNo sábado (22), os 350 participantes encontraram o Papa Francisco na Sala Clementina, no Vaticano. Francisco pediu aos delegados que suas comunidades preservem o frescor do carisma, atuem com um coração missionário e procurem a comunhão. “Para que o mundo creia que Jesus é o Senhor, é preciso que veja a comunhão entre os cristãos; mas se houver divisões, rivalidades e fofocas... qualquer que seja a causa, como se pode evangelizar? Lembrem-se deste outro princípio: ‘A unidade prevalece sobre o conflito’ (Esort. ap. Evangeliigaudium, 226-230), porque o irmão vale muito mais do que as nossas posições pessoais: por ele, Cristo derramou o seu sangue (1Pd 1,18-19); pelas minhas ideias, não derramou nada! [...]”. Ele também afirmou que não pode existir verdadeira comunhão em um movimento ou em uma comunidade sem integrar-se à comunhão maior que é a Igreja.

clique para ampliarO Papa disse ainda que, em uma humanidade ferida, com sérios problemas de identidade e dificuldades para fazer escolhas, é preciso acolher e acompanhar os homens de hoje, sobretudo os jovens, mas respeitando sua liberdade: “A paciência é o único caminho para amar realmente e levar as pessoas a uma relação sincera com Deus”.

No final do encontro, Ernesto Olivero teve a oportunidade de conversar brevemente com o Papa – que em 21 de junho de 2015 visitará Turim para venerar o Santo Sudário e para honrar São João Bosco, no bicentenário de seu nascimento – e de dizer a ele: “Esperamos o senhor em Turim e gostaríamos que visitasse também o arsenal de guerra transformado em Arsenal da Paz” e Francisco respondeu: “Irei!”. Que Maria Mãe dos Jovens prepare esse momento...


Ainda sobre o evento:

A primeira edição do Congresso Mundial dos Movimentos Eclesiais e das Novas Comunidadesaconteceu em 1998. Por ocasião da Solenidade de Pentecostes, os movimentos se encontraram com o Papa João Paulo II na Praça de São Pedro.

A segunda edição aconteceu em 2006, com o Papa Bento XVI.

Por ocasião da vigília de Pentecostes de 2013, nos primeiros meses do pontificado de Francisco, o pontífice falou aos membros dos movimentos eclesiais e das novas comunidades, motivando-os a ser, na Igreja, sinal de “novidade, harmonia e missão”.

Leia aqui o texto integral do discurso do Papa Francisco (em italiano).

clique para ampliar