Sermig

Um rosto novo, iluminado

No Domingo de Ramos Jesus entrou em Jerusalém, mas também em São Paulo, Buenos Aires, Nova York, Roma e em muitos outros países, cidades, municípios. Quem O acolheu? Quem O aclamou como rei? Quem O imita como mestre? Talvez estejamos cansados ou não entendamos mais o que significa acreditar que Jesus deu sua vida por mim, por nós.

Não podemos. Somos nós os seus discípulos hoje e, com os nossos mantos, com as nossas pobrezas e incertezas, podemos dar-Lhe as boas-vindas e dizer a Ele: "Entre, porque precisamos saber que Você nos ama".

Na noite do Domingo de Ramos, um dos acolhidos da casa entrou na capela onde nos reunimos para rezar as Vésperas e falou: "Hoje estou feliz porque na entrada me deram um bilhete: fui convocado para começar a trabalhar segunda de manhã no Arsenal! Isso é muito importante para mim, porque significa que eu existo". 

"Eu existo". A alegria com a qual Antônio pronunciou essa frase foi o meu "Hosana ao Filho de Davi" desta Semana Santa. Eu pensei: se Antônio, só por ter recebido um bilhete do serviço social, encontrou a esperança para ir até a capela e dizer: "eu existo", imaginem o que poderá fazer em sua vida se alguém for capaz de dizer a ele que Jesus, o Filho de Deus, deu a vida por ele! 

Nestes dias celebramos a alegria de sermos salvos, mas não apenas isso, também a possibilidade de "fazer um pouquinho daquilo que Jesus fez naquele dia de sua morte", como disse o Papa Francisco na homilia da última quarta-feira (27/03/2013). "Um pouquinho" ele falou em italiano, mas por trás tem todo o carinho de uma maneira de se expressar tipicamente sul-americana: aqui usamos o diminutivo para tudo, até para as maiores coisas, não para depreciá-las, mas para humanizá-las. Jesus é Deus; porém, "diminuiu-se" para caminhar conosco e entrar em nossas cidades, vilas, casas, famílias, vidas.

Deixemos que Ele entre e vamos imitá-Lo: para que nos serve possuir tantas coisas, se ainda não as compartilhamos? Para que serve trabalhar, comer, estudar... se não nos ajudamos? "Restituir" muitas dessas coisas significa ver a luz do Amor de Cristo refletida nos olhos de todos os Antônios que Deus coloca ao nosso lado, significa ver o rosto do Cristo Ressuscitado. 

Feliz Páscoa!

Simone Bernardi
Fraternidade da Esperança