Sermig

Nossa história: Anos oitenta

Em 1980, Rosanna, uma das moças que tinha acompanhado Ernesto nos últimos anos, decide se consagrar a Deus no SERMIG. é uma “revolução”, uma responsabilidade imprevista, que dá ainda mais sentido a toda a caminhada. Logo em seguida outros jovens seguem o exemplo de Rosanna: nasce assim a Fraternidade da Esperança, que hoje constitui o coração do SERMIG.

O SERMIG continua seu trabalho para a superação da fome, mas agora precisa de uma casa para a Fraternidade (por quase vinte anos o grupo não teve uma sede própria): uma exigência que estimula mais ainda o sonho de Ernesto do “Arsenal da Paz”.

No dia 2 de agosto de 1983, depois de anos de perseverança na oração e no diálogo, Ernesto Olivero recebe a autorização para entrar nas instalações do antigo Arsenal Militar de Turim. Sem dinheiro nem para consertar o portão principal, o SERMIG começa a experimentar a força da Providência, cujo campo é a desproporção.

Milhares de pessoas se tornam acionistas e “multiplicadores” desse sonho: começam a enviar ofertas, muitos se disponibilizam para trabalhar de graça e para doar materiais. Isso torna possível a transformação daquele lugar arruinado em “Arsenal da Paz”, agora casa da Fraternidade da Esperança e de centenas de imigrantes, dependentes químicos, alcoólatras, ex-presidiários... Que buscam refúgio e uma nova oportunidade.

No mês de janeiro de 1988, Ernesto Olivero encontra, em Turim, Dom Luciano Pedro Mendes de Almeida, na época Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O encontro com Dom Luciano representa uma etapa fundamental para a vida da comunidade: Dom Luciano se torna amigo, pastor e modelo de vida. Nascem as Associações Internacionais para o Desenvolvimento ASSINDES e centenas de projetos de ajuda humanitária e desenvolvimento no Brasil e em todo o mundo.