Sermig

SÍRIA: “...eu tenho medo da guerra”

“Cobre os meus olhos porque eu tenho medo da guerra!”. É a frase que nos disse ontem uma menina de 5 anos assistindo ao telejornal. Há mais de dois anos as CRIANÇAS DA SÍRIA estão dizendo a mesma coisa sem encontrar ninguém que escute o seu drama.

Um milhão de crianças precisaram fugir da casa em que moravam e da terra onde nasceram. Além de todos aqueles que subiram ao céu e de todos aqueles que continuaram vivendo em um lugar que se tornou um inferno. A reposta ao medo deles não pode ser outra bomba, outra morte, outra destruição, outro medo.

As armas matam quatro vezes. Usando o dinheiro que poderia ser investido em desenvolvimento, saúde, educação, pesquisa. Absorvendo a inteligência de cientistas e engenheiros que, empregada de outra forma, poderia curar doenças e resolver tantos problemas do mundo. Matam a terceira vez porque, quando disparam, não estão brincando. Por fim, semeiam vingança.

A resposta que um milhão de crianças esperam é outra. Voltar para casa. Ir à escola. Ser crianças. Brincar e sorrir. Esperam alguém que tome conta delas, que devolva a elas o presente para que possam ter também um futuro.
Quando forem grandes, se tornarão homens e mulheres cheios de vontade de se vingar de quem lhes roubou a infância e destruiu tudo aquilo que tinham.
O ódio, o terror, a morte, a destruição, o medo que elas têm ao seu redor está crescendo também dentro delas.

É urgente que as Nações Unidas se tornem realmente e finalmente o lugar onde sejam enfrentados e resolvidos os problemas do mundo, com a promoção da educação, do desenvolvimento e da justiça para prevenir cada nova guerra.

Neste sábado, 7, às 15h, o Arsenal da Esperança e os 'Amigos da Praça' se unem à oração pela paz na Síria e em todo o Oriente Médio, convocada pelo Papa Francisco e promovem um 'Momento de Oração Silenciosa', n'A PRAÇA, antiga Capela Nossa Senhora Aparecida dos Ferroviários (Rua Dr. Almeida Lima 750).
Esperamos você!


A Fraternidade da Esperança