Sermig

Ficar de pé, sem perder o fôlego...

Dezenas de milhares de jovens querem mudar algo. Os jovens que clamam por mudanças surpreendem sempre, sobretudo as autoridades... Os jovens da Turquia, por exemplo, encontraram uma nova maneira de protestar: vão à praça onde foram proibidos de se reunir e ficam de pé, parados, em silêncio, por horas e horas... Mas como fazer para continuar a ficar de pé, sem perder o fôlego, as motivações? É preciso ter um grande ideal... E quem procura, acha.

O alpinista italiano Reinhold Messner, conhecido como um dos melhores de todos os tempos, foi o primeiro a chegar ao topo do Monte Everest sem a ajuda de tubos de oxigênio, em 1978. Para conseguir fazer isso, é necessário um treinamento enorme!

Messner contava que, por um bom tempo, enchia sua mochila com pedras pesadas e depois começava a correr no quintal de sua casa para treinar o seu físico, até o limite; porque subir o Everest, naquelas condições, não é uma brincadeira, mas uma luta entre a vida e a morte.

O treinamento... O que desejo para mim mesmo e para os jovens? Que consigam entender como é que se consegue ficar de pé. Não basta dizer não à corrupção, não às injustiças; é preciso convertê-las, é preciso convencê-las a mudar de ideia, é preciso ter uma força interior tão grande que nos leve a dizer, com a nossa vida: “vocês estão errando!”, e dizer isso com amor, porque senão entramos no ódio que gera mais ódio e mais violência.

Nós temos que continuar a ficar de pé, retos, para dizer que é possível sim mudar as coisas e, entretanto, mudar a minha vida, carregar a minha cruz, sem me deixar corromper, sem aceitar favores especiais, sem pegar atalhos ilegais... E esse exemplo pode se espalhar.

Nós ainda sonhamos com um mundo onde ninguém passe fome, onde todos possam estudar, se curar... Mas, você, o que está fazendo para que isso aconteça? Quero ficar de pé, quero olhar nos olhos do corrupto, do injusto, não para derrubá-lo, mas para fazer com que mude de ideia. O meu ideal, se for verdadeiro, me dá coragem sempre, para olhar nos olhos de qualquer pessoa, em qualquer situação, sabendo, também, que eu posso continuar a aprender com qualquer um, todos os dias.

Nós, do Arsenal da Paz, do Arsenal da Esperança, do Arsenal do Encontro, estamos de pé há muitos anos, acolhendo milhares de pessoas por dia, e isso porque em nossa vida a oração é um fato, nos dá energia, continuamente, nos dá sentido, nos ajuda a entender melhor quem somos, por que e por Quem estamos aqui, nos ajuda a não ter medo dos nossos defeitos, a olhar para eles e dizer: vocês existem, mas eu também existo e aos poucos vou melhorando, crescendo. Só assim vamos ajudar outras pessoas a ficar de pé e um país, o mundo a mudar.

O nosso país tem muitos problemas, mas é habitado por cada um de nós, e somos nós, em primeiro lugar, que temos que torná-lo um país melhor, com a nossa vida.

Ernesto Olivero
(Tradução do “Buona Giornata” do dia 19.06.2013)